Processo de cicatrização da pele

A cicatriz surge com o processo natural de cura de ferimentos na pele chamado cicatrização. A ferida pode ser decorrente de um acidente, uma operação ou doença. Uma cicatriz normal é fina, acompanha o relevo da pele ao redor e, às vezes, torna-se quase imperceptível, existindo um equilíbrio entre a produção e a degradação (destruição) de fibras colágenas (figura 1). Entretanto, a pele jovem, por comumente produzir colágeno de forma mais acelerada que sua degradação tende a determinar uma cicatriz evidente, ou cicatriz hipertrófica, isto é, maiores, mais elevada e espessa do que aquela que ocorre na pele da pessoa idosa (figura 2). Quando a quantidade de colágeno depositada na cicatriz é menor do que devia, a cicatriz final pode aparecer deprimida, ou atrófica, em relação à pele ao redor (figura 3).


Figura 1 - A cicatriz é o resultado final de um conjunto de processos biofísicos e bioquímicos que visam reconstituir a continuidade da pele, após um corte cirúrgico ou ferimento. Quando existe um equilíbrio entre a produção e a degradação de fibras colágenas, resulta numa cicatriz normal, também considerada cicatriz estética.

 

 

 


Figura 2 – Quando o processo de produção de fibras colágenas é maior que sua degradação, a cicatrização final resulta numa cicatriz elevada, ou uma cicatriz grossa, em relação à pele ao redor. Essas cicatrizes por serem acompanhadas de sintomas como coceira e dor, são consideradas cicatrizes patológicas; podem assumir características de uma cicatriz hipertrófica ou de quelóide.

 

 

 

Figura 3 - Quando o processo de degradação da fibra colágena é maior que sua produção, a cicatrização final resulta numa cicatriz afundada e/ou cicatriz alargada em relação à pele ao redor, conhecida como cicatriz atrófica, que é uma cicatriz inestética.

 

 

 

Geralmente, a cicatriz torna-se menos notável com o passar do tempo. Muitas cicatrizes, inicialmente inestéticas, tornam-se aceitáveis após três meses ou mais. O aspecto da cicatriz dependerá da sua localização no corpo, sentido da cicatriz, cor e textura da pele, comprimento, largura e profundidade. Alguns locais do corpo, caracteristicamente, apresentam uma tendência maior em formar cicatrizes mais evidentes, como a parede torácica, a parede abdominal, assim como a região lateral da face e orelha.

Como o processo de cicatrização da pele leva vários meses para definir o aspecto final da cicatriz, uma intervenção cirúrgica não se limita ao ato operatório. Assim sendo, o cirurgião deve examinar o tipo de pele, assim como os antecedentes cirúrgicos do paciente, para avaliar o risco do mesmo desenvolver uma cicatriz inestética, embora não seja sempre possível.

A aparência final de uma cicatriz causada por uma operação, ou até por um ferimento acidental, não sempre é previsível. E, no período pós-operatório, independente do resultado da operação, o paciente deve continuar retornando ao cirurgião para avaliar, progressivamente, a qualidade da cicatriz, o qual orientará a conduta ou tratamento mais apropriado para cada caso. Assim, em geral, a aparência final da cicatriz depende mais de como seu corpo cicatriza do que da adequada técnica operatória praticada pelo cirurgião.

De qualquer forma, a correção de uma cicatriz patológica ou cicatriz inestética é, geralmente, segura. O cirurgião, após o exame, discutirá com você os métodos possíveis de tratar sua cicatriz, os riscos e benefícios envolvidos e os resultados possíveis.

Ainda não se sabe por que o organismo forma essas cicatrizes patológicas ou cicatrizes inestéticas. Resultam de uma desorganização das fibras colágenas, responsáveis pela cicatrização da pele. Muitas cicatrizes que parecem grandes e pouco estéticas no início podem tornar-se menos visíveis com o tempo. Por essas razões, muitos cirurgiões plásticos recomendam esperar em torno de um ano ou mais após o ferimento ou cirurgia antes de corrigir a cicatriz. Durante esse período, algumas cicatrizes hipertróficas e o quelóide podem ser tratados com corticóide (corticosteroide) para aliviar sintomas tais como dor e coceira (prurido).

Independente da cicatriz apresentar dor, causar intensa coceira ou acarretar outros tipos de transtornos físicos, o fato de apenas sua aparência incomodar, naturalmente, é uma questão pessoal e que pode afetar a qualidade de vida. Portanto, justifica-se a procura de um cirurgião plástico para melhorá-la.